quarta-feira, 22 de julho de 2009

Desencontros



Jogo os desencontros
nas marés revoltas
tsunamis de querer.
Num simples batel
a minha alma rema inebriada
e eu nem ouço
as chicotadas duma voz que grita.
É triste o dealbar deste sol
que se transmuta e fere de morte
os escolhos de uma praia.
Os desencontros são cicuta
gotejada pouco a pouco.
À raiva acutilante
desse mar revolto
responde a calmaria de um céu sem estrelas
de um deserto de sentires.
Exausta, encalho na praia
onde me espera a solidão.
Mas não me importo!
Sou um Crusoe que só deseja
que os desencontros morram na última maré.


Margarida Piloto Garcia



11 comentários:

Su disse...

hoje andei por aqui, em teus trilhos..............


jocas maradas.........sempre

Susana Garcia disse...

A vida também é feita de encontros não é só de desencontros.
Mas gostei do poema com palavras fortes como o tsunami,e uma ou outra mais dificil,mas é um poema intenso,que talvez tenha o significado de pôr fim a esses desencontros.
beijinhos

Susana disse...

Margarida:
Um poema bem profundo! Os desencontros podem marcar e revolver , de um momento para o outro uma vida inteira.

Abraço, Susana

T@CITO/XANADU disse...

Jogar os desencontros na maré...

Isto é o homem a caminho
na imperfeição de sua existência.

Parabéns pelo belo poema.
Tácito

© Piedade Araújo Sol disse...

hoje ancorei neste porto sem cais, aqui me trouxeram as marés.

encontros, desencontros e o mar, inspiram.

eis aqui a prova.

beijo

Pena disse...

Oh, Princesinha Linda de Sonho:
Possui uma sensibilidade terna quando expressa de forma mágica os seus extraordinários poemas.
"...onde me espera a solidão.
Mas não me importo!
Sou um Crusoe que só deseja
que os desencontros morram na última maré..."

Sabe, é um "docinho" lindo.
Tem talento e imensa genialidade poética que adoro.
Bem-Haja, por ser quem é.
Fantástico.
Com um respeito do tamanho do Mundo...
Beijinhos. Muitos.
Sensibilizado pelo seu encanto de poetiza adorável...

pena

MUITO OBRIGADO pela sua amizade que nunca esquecerei.
Bem-Haja, amiguinha linda.

A.Tapadinhas disse...

Não precisamos de esperar pela última maré...

acabemos já com os desencontros!

Beijo.
António

tonhOliveira disse...

Exausta, encalho na praia
onde me espera a solidão.

........................................
Lindo!

(Mar)avilha!

Beijos!
Tonho

S* disse...

Profundo e bonito. Há momentos ue nos marcam, que parecem o mar revolto... mas toda a tempestade acaba por acalmar.

Paulo Sempre disse...

Quase que me perdi...

Beijo

Paulo

yolanda disse...

OS TEUS POEMAS SÃO UM BÁLSAMO PARA A ALMA,BJS YOLANDA