quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Passeio





Dou-te a mão e espero.
Tremem sentidos na pálida madrugada
e o nevoeiro escorrega-me nos nós dos dedos.
... Levo entrelaçado nos cabelos, fios de histórias por rematar.
Caminho no ondear das palavras
enquanto a cidade escorre no som das memórias relatadas.
Quero acreditar
que o rio me leva ao mar imenso, parindo barcos de velas enfunadas.
Em cada nuvem um pensamento
em cada onda uma sereia.
Sigo o caminho de mão dada buscando nesse enredo o calor do sol
e o aroma das cerejas, tintas e carnudas.
Na palidez do dia escondo o coração no bolso do casaco.
E sigo de mão dada, como um fantasma na neblina matinal.


Margarida Piloto Garcia







3 comentários:

vitor correia disse...

Lindo este teu passeio.Lembra me alguns que também tive.E de mãos dadas.Ficaram as saudades.Obrigado pela partilha.Aqui

mfc disse...

A ideia de viagem também é uma constante em mim...
E planeio, traço, idealizo, sonho... como qualquer outro!
Que lindo sonho, ou realidade terna e melancólica de viagem, acabaste de partilhar connosco!

RZorpa disse...

A delicadeza com que cada palavra nos conduz, parece estar em linha perfeita com a beleza da sua poesia, que tanto me seduz...!