quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Datas





Datas são para relembrar.
Datas são para esquecer.
Dias, meses, anos,cronologia de vida.
Segredos preciosos como diamantes,
horas carpidas em rosários magoados,
anos repletos das maravilhas do desabrochar
dos suaves tremores
das feéricas paixões,
freios exteriores mas alma liberta.
Sonhos de uma ingenuidade pueril
tornada doentia nas dobras do tempo.
Datas expectantes, mal amadas na insatisfação da dura realidade.
Alegrias únicas, cintilações
tesouros guardados num imaginário a sépia.
Datas para esquecer em papéis rasgados,
imagens descoloridas e desfocadas,
sentimentos apanhados em teias de aranha
num sótão de fantasmas povoados.
Datas que nos deixam cicatrizes,
nos abrem e cortam com bisturis afiados.
Momentos em que a alma atinge a destruição,
os olhos fecham e arrancam de nós as já pálidas esperanças.
Dores paridas em sonhos estrebuchados,
abortos provocados pela tirania do que se sente.

E entrelaçado nesta renda de bilros,
traços misteriosos, alinhavos em obra incompleta.

Faço a contabilidade das datas,
Extraio do leito deste rio as poucas pepitas do ouro
que ousei resgatar à vida.
No fim olho-me no espelho
e não me reconheço nuns olhos de espanto sofrido.

Datas são para esquecer
e eu eternizo-me a lembrá-las
embrulhando em papel dourado e cintilante
o lixo que sobrou.


 Margarida Piloto Garcia





3 comentários:

Anónimo disse...

Datas algumas são para recordar.Outras para esquecer.O texto é mais um para lembrar que a vida é para ser vivida sem olhar para trás....
Vmnc

Maria Madalena disse...

Mais do que um poema, é um desabafo, já tinha lido, é catártico, mas a verdade é que cada uma dessas datas, felizes ou tristes, fazem de nós o que somos.
Datas, é a fita métrica com que medimos o que vamos vivendo.

FUMADOR disse...

Datas é a nossa historia para um dia a podermos contar.